Sem cortina: saiba os benefícios de eliminar o acessório da sala


Amplidão e mais luminosidade: é isso que se ganha ao retirar apenas um elemento da decoração da sala, a bendita cortina. Quem garante é o arquiteto Maurício Arruda, apresentador do programa Decora do canal de TV fechada GNT. Ele mesmo um adepto, aboliu o véu de tecido desde 2013. “Nunca coloquei cortinas nessa minha sala, pois sempre gostei de apreciar a copa das árvores que ficam bem na frente da minha janela”, conta Maurício.


Privacidade

Não é uma decisão fácil, afinal as cortinas garantem privacidade. O principal elemento a se considerar é a vista. Quem vê belezas como o mar ou copas de árvores, por exemplo, sai com vantagem. Se empolgou com a ideia? Soluções criativas podem melhorar a experiência. “Para quem tem espaço interno, algumas plantas maiores e com folhagens altas podem ajudar a bloquear a vista de fora e filtrar a luz do dia”, sugere o arquiteto e apresentador. Outra sugestão, dessa vez para os amantes do “faça você mesmo”, serve até para quem vive em um apartamento alugado: colocar um varão sobre a janela. E nele, com auxílio de ganchos, pendurar luminárias, plantas do tipo pendentes que precisem de luz natural e outros objetos decorativos. Arruda garante que o efeito é impactante e original: “Transforme no espaço dos seus sonhos e aproveite o momento”.

Escolha certa

O cuidado principal ao se retirar as cortinas é com os objetos que ficam próximos à janela. Ter o conhecimento dos horários e da intensidade da entrada de luz ajuda a definir como será pensada a decoração. “É importante sentir o sol no ambiente e reparar sobre quais materiais ele incide. Alguns podem danificar mais facilmente. É o caso, por exemplo, das fibras 100% naturais, fotos e gravuras”, alerta o profissional. Fique de olho em materiais que têm mais resistência. Vale até adotar aqueles que foram feitos para ficar em áreas externas, como varandas, quintais ou piscinas. Se animou com a ideia de a dar adeus às cortinas e começar 2018 com muita luz natural em casa? Deixe o novo entrar!


Texto reproduzido
Fonte: correio24horas.com.br